Tag: Medvacinas

A rubéola é uma doença transmissível que representa um perigo para toda a população, mas tem graves consequências especialmente para as mulheres grávidas. Chamada de Síndrome da Rubéola Congênita, a condição provoca diversas complicações para o fato (como a surdez, problemas de visão e até mesmo aborto).

Devido à adesão da população brasileira à vacina tríplice viral (que previne a rubéola e outras doenças como sarampo e caxumba) o país recebeu, em 2015, o certificado de eliminação da rubéola.

Apesar disso, o desaparecimento da doença no Brasil fez com as pessoas se descuidassem novamente e faltassem com suas vacinas, o que é sinal de perigo para a Saúde nacional.

A eliminação da doença só pôde acontecer devido ao sucesso da Campanha de Vacinação para Eliminação da rubéola, em 2008, que atingiu 97% do público alvo (homens e mulheres de 20 a 39 anos). Assim, a transmissão do vírus foi interrompida. Viu como é importante manter o calendário de vacinação em dia? A imunização é melhor forma de prevenção, sempre.

Por isso mesmo o Ministério da Saúde tem falado mais sobre a vacinação contra a doença. Segundo dados, a cobertura vacinal da tríplice viral em 2018 para crianças estagnou-se em 84,01%, sendo a meta do Ministério de 95%.

É importante ressaltar que somente a vacinação protege contra a rubéola e que, caso a doença erradicada volte a assolar o país os danos podem ser irreversíveis, especialmente nas crianças. Por isso, é necessário que todos garantam a imunização.

O Ministério da Saúde ainda frisa que não é necessário esperar pela Campanha de Vacinação, já que a imunização acontece o ano inteiro.

Você pode conferir mais sobre a vacina tetraviral (atualização da tríplice viral) e sobre a Medvacinas clicando aqui.

Sobre a Rubéola

A doença é transmitida por um vírus e é altamente contagiosa. Sua transmissão se dá por meio de secreções nasais expelidas durante a tosse, respiração ou fala do doente.

Seus sintomas principais são febre, alteração dos linfonodos, manchas avermelhadas pelo corpo, dores no corpo e cabeça e desconforto ao engolir.

Vacina da Gripe 2019

Vacina gripe (influenza) — trivalente ou quadrivalente

O que previne:

Infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe) contidos nas vacinas.

Do que é feita:

Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença.

Sua formulação contém proteínas de diferentes cepas do vírus Influenza definidas ano a ano conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que realiza a vigilância nos hemisférios Norte e Sul. As cepas vacinais são cultivadas em ovos embrionados de galinha e, por isso, as vacinas contêm traços de proteínas do ovo.

Existe vacina trivalente, com duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B, e vacina quadrivalente, com duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B.

Quando a apresentação é monodose, ou seja, em seringas prontas com doses individuais, a vacina não contém conservantes. Já a apresentação multidose, como acontece com outras vacinas, contém timerosal (derivado do mercúrio) como conservante.

Podem conter traços de formaldeído e antibióticos (geralmente gentamicina ou neomicina), utilizados durante a fabricação para prevenir contaminação por germes. Também contém cloreto de sódio e água para injeção.

Indicação:

Para todas as pessoas a partir de 6 meses de vida, principalmente aquelas de maior risco para infecções respiratórias, que podem ter complicações e a forma grave da doença.

Contraindicação:

Pessoas com alergia grave (anafilaxia), a algum componente da vacina ou a dose anterior.

Esquemas de doses:

  • Para crianças de 6 meses a 9 anos de idade: duas doses na primeira vez em que forem vacinadas (primovacinação), com intervalo de um mês e revacinação anual.
  • Para crianças maiores de 9 anos, adolescentes, adultos e idosos: dose única anual.
  • Para menores de 3 anos, na dependência da bula do fabricante, o volume a ser aplicado em cada dose pode ser de 0,25 mL ou 0,5 mL.

Via de aplicação:

Intramuscular.

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

  • Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.
  • Pessoas com história de alergia grave ao ovo de galinha, com sinais de anafilaxia, devem receber vacina em ambiente com condições de atendimento de reações anafiláticas e permanecer em observação por pelo menos 30 minutos.
  • No caso de história de síndrome de Guillain-Barré (SGB) até seis semanas após a dose anterior da vacina, recomenda-se avaliação médica criteriosa sobre o risco-benefício antes de administrar nova dose.
  • Excetuando os casos aqui citados, não são necessários cuidados especiais antes da vacinação.
  • Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Em casos mais intensos pode-se usar medicação para dor, sob recomendação médica.
  • Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.
  • Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais que 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

Efeitos e eventos adversos:

  • Manifestações locais como dor, vermelhidão e endurecimento ocorrem em 15% a 20% dos vacinados. Essas reações costumam ser leves e desaparecem em até 48 horas.
  • Manifestações sistêmicas também são benignas e breves. Febre, mal-estar e dor muscular acometem 1% a 2% dos vacinados. Têm início de seis a 12 horas após a vacinação e persistem por um a dois dias, sendo mais comuns na primeira vez em que tomam a vacina. Reações anafiláticas são raríssimas.

Sabe-se que a Síndrome de Guillain-Barré (SGB) pode ocorrer por mais de um motivo, mas em raras ocasiões seu surgimento coincidiu com a aplicação de uma vacina – nesses casos, surgiu entre um dia e seis semanas após a vacinação. Com exceção de uma vacina específica para gripe suína de 1976, todos os demais estudos que buscaram relação de causa entre vacinas influenza e SGB obtiveram resultados contraditórios, alguns encontrando essa relação e outros não. Até hoje não se sabe se a vacina influenza pode de fato aumentar o risco de recorrência da SGB em indivíduos que já a tiveram. Também é importante saber que alguns vírus podem desencadear essa síndrome.

Fonte: Família SBim (Sociedade Brasileira de Imunizações)

Conte com a Medvacinas para Vacinar toda a Família:

Entre em contato e agende o seu horário!

Dúvidas frequentes sobre o HPV

O que é HPV?
HPV é o “papilomavírus humano”. Infecta pele e mucosas de homens e mulheres em qualquer idade. Existem cerca de 200 tipos de HPV. Alguns tipos de HPV podem causar verrugas e cânceres no colo do útero, vulva, pênis, ânus, boca e garganta.

Como pego HPV?

Continue lendo

A importância do atendimento humanizado na Saúde

A saúde é o seu bem mais precioso. É na ausência dela que geralmente você nota como ela é importante, e quando isso ocorre, resta-nos buscar ajuda com os profissionais da saúde. É justamente por cuidar de você em um momento no qual você provavelmente está frágil que o atendimento humanizado dentro dessa área é tão importante. Já pensou nisso?
O cuidado humanizado por parte dos profissionais da saúde é muito importante porque aumenta a eficácia e a adesão aos tratamentos.

Continue lendo

A vacinação é muito importante durante todos os estágios da vida e, por esse motivo, crianças, jovens, adultos e idosos devem manter em dia seu cronograma de imunizações. Durante a infância esse ato é ainda mais importante, já que a imunidade dos pequenos é mais frágil do que de um adulto, por exemplo, tornando-o mais suscetível a contrair algumas doenças infecciosas.

Continue lendo

Já falamos anteriormente que a vacinação é a melhor forma de prevenção a doenças e foi responsável por erradicar algumas enfermidades como a Poliomielite, por exemplo. Mas será que as crianças possuem essa consciência? O quanto as escolas repassam esse ensinamento? Neste artigo vamos discorrer sobre o assunto e entender melhor o motivo da importância dessa conscientização.

Continue lendo

Adultos também precisam tomar vacinas

Não são só os bebês e as crianças que precisam se imunizar. Adultos também precisam atualizar sua caderneta de vacinação, sabia? Quem está com as vacinas desatualizadas coloca em risco a própria vida e a de outros, uma vez que passa a ser um possível transmissor de doenças. Você sabe quais vacinas precisa tomar para garantir imunidade contra as principais enfermidades? Dê uma olhada:

Continue lendo

  • 1
  • 2
ACOMPANHE

Av. Onze de Agosto, 1818, Vila Embaré
Valinhos/SP - CEP 13.271-210
(19) 3327-5554

Horário de Funcionamento:

Segunda a Sexta:
08:00 às 18:00
Sábado:
08:00 - 12:00

Desenvolvido por Semeia Propaganda